quarta-feira, 15 de julho de 2009

Silêncio

Alguns diálogos bastam para explicar alguma situação. Quando a gente é surpreendido, não por falta de aviso, mas por confiança, não se tem muito o que dizer. Na maioria das vezes o silêncio combina mais que o dialogo. Alguém sempre se machuca com palavras. Mas nunca pensamos antes, as flechas são disparadas antes do sinal. E quando acertam, machucam feio. O coração é o de menos, quando acertam o ego é pior.


“Limpa esse veneno da tua boca, não combina com você.”

“Não precisa falar assim.”

“Era isso?”

Silêncio.

“Então, tchau.”

“Espera, volta aqui.”

Silêncio.


Algumas ações também bastam para explicar uma situação. Um beijo no rosto quando se espera uma boca. Um aperto de mão, um abraço, um adeus. Machucam tanto quanto palavras, porém são mais desconfortáveis que o silêncio. Um tapa, um soco, um olhar, uma tragada, seguir adiante. Tudo se resume a ações, diálogos, silêncio. Não nessa ordem, talvez.


“Adeus.”

terça-feira, 14 de julho de 2009

Manual de Instruções

Todos que se aventuram por caminhos tortuosos e imprevisíveis precisamos de alguns itens essenciais. Um deles é o estepe. Mas como qualquer item de emergência, é preciso saber usá-lo, com todos os devidos cuidados para que ele não te deixe mais na mão (use o sentido mais literal possível) do que você já está.

Um bom estepe tem data de validade. Você precisa sempre conferir o estado dele para ver se ainda tem as características que você precisa. Se passar a validade, não tenha medo de trocá-lo, mas escolha sempre um bom, estepes de má qualidade são comuns e geralmente não funcionam bem, emperram, acham que são originais de fábrica e você só se incomoda.

Outra coisa, sempre calibre o estepe a cada trimestre. Abandoná-lo no porta-malas a escuridão o faz murchar, sem interesse em te ajudar. Manutenção sempre é importante, é o segredo de qualquer mecanismo de emergência.

No geral, você precisa cuidar do seu estepe, mas sem esquecer qual o lugar e função dele, para não complicar as coisas. Revezamento de pneus nunca dá muito certo, mais vale comprar dois carros.

Próximo capítulo, manual de instruções da carta curinga.

***

Carta Curinga, aquela que você guarda para o momento certo. Você sabe que ela tem todas as vantagens das outras cartas, que pode ser um As, um rei, ou um 4. Pode estar sempre disposta a trabalhar. Ajudar nas jogadas com outras cartas, e todos os jogadores querem ter uma. Deve-se ter muito cuidado para não permanecer muito tempo com uma carta curinga, porque apesar das mil e uma utilidades, você pode acabar só com ela na mão. Então, na hora certa, pense estratégicamente no jogo, afinal, mais vale um passarinho na mão do que dois voando, e é hora de usá-la. Mas cuidado, se não souber pensar bem com o Joker, ele pode acabar com o seu jogo. Guardar bem as cartas pode criar uma necessidade de sempre tê-las em mãos, mas nem sempre elas continuarão por ali. FIKDIK.